Saiba como economizar dinheiro pra próxima viagem.

Este post vai te ajudar a poupar dinheiro pra uma nova viagem. Saiba mais: Mais »

Islas del Rosario e Isla Baru, passeio clássico de Cartagena de Indias

Um dos passeios mais procurados em Cartagena de Indias é o passeio até as Islas del Rosário e Isla Baru... Saiba como é... Mais »

Catedral de São Basílio, a igreja mais bonita do mundo!!!

Conheça a Catedral de São Basílio, um dos maiores cartões postais da Rússia e uma das igrejas mais bonitas do mundo. Mais »

Conheça o Parque Nacional Morrocoy, na Venezuela.

O Parque Morrocoy é um dos cantinhos mais bonitos do Caribe Venezuelano. Saiba mais. Mais »

 

Museu Intiñan e a verdadeira linha do Equador (Latitude 00º 00′ 00″)

latitude00

Você já pensou em visitar Quito?  Se sim, provavelmente você também pensou em visitar a metade do mundo e tirar uma foto na famosa linha do Equador, onde teoricamente você fica com um pé no Hemisfério Norte e outro no Hemisfério Sul. A famosa linha é uma das atrações mais emblemáticas do Equador, mas você sabia que o monumento e a linha não estão posicionados exatamente na Latitude 00º 00′ 00″ ?? Isso mesmo, a verdadeira Latitude 00º 00′ 00″ fica a cerca de 240 metros dali… Nós visitamos o Museu Intiñan que, segundo dizem, é o local exato da verdadeira linha do Equador. Confira como foi nossa visita.


Acompanhe o DMEC no Instagram: @demochilaecaneca
No Equador nós usamos a hastag #DMECnoEquador

Museu Intiñan e a verdadeira linha do Equador

Museu Intiñan-17

Museu Intiñan

Quando os franceses da missão geodésica, no século XVIII, passaram 8 anos estudando a posição em que seria definida a linha que divide o planeta em 2 hemisférios e a marcação exata da Latitude 00º 00′ 00″, os sábios indígenas do Valle de Lulumbamba, por meio de observações solares e astronômicas já sabiam que o centro do mundo estava posicionado sobre aquele lugar que chamavam Inti (Sol) Ñan (caminho). Muito antes dos franceses chegarem e sem o auxilio de qualquer tecnologia os povos originários já sabiam que era no “caminho do sol” que no dia 21 de março e no dia 21 de setembro, o sol iluminava o vale de maneira perpendicular.

E por falar no caminho do sol, foi o filho de um grande estudioso deste fenômeno, o responsável pela fundação do Museu, que não poderia ter outro nome se não IntiÑan. O professor Humberto Vera foi o primeiro a estudar os indígenas da etnia Quitu Caras (povo que habitava a região e tinha grande domínio da astronomia); foi um dos primeiros a estudar sobre a linha do Equador e também foi o cara responsável pela pintura de uma linha vermelha para os turistas tirarem fotos no primeiro Monumento Ecuatorial, em 1936 (falamos sobre o primeiro monumento no post sobre a Ciudad Mitad del Mundo).

Assim sendo, Fabián Vera, filho do professor Humberto Vera, seguiu o caminho do pai e em uma grande tacada montou o Museu, junto a um par de Chozas (cabanas) centenares que estão posicionadas exatamente sobre o local onde o GPS sinaliza a Latitude 00º 00′ 00″.

O Museu Intiñan resgata, preserva e difunde o conhecimento da cultura solar que possuíam os povos que habitaram a região. Além disso, o museu também propaga a cultura e história de várias regiões do Equador.

Como é visitar o Museu Intiñan

Museu Intiñan-15

Museu Intiñan.

Depois de termos visitado a Ciudad Mitad del Mundo corremos para o museu que fica ali na vizinhança e que, segundo tínhamos ouvido falar, é onde está a verdadeira Latitude 00º 00′ 00″.

Perguntamos  e nos falaram que era só sair do complexo e seguir o muro a esquerda que logo chegaríamos ao museu, que fica a pouco mais de 200 metros.  Fizemos isso e logo que saímos do parque encontramos uma ruazinha deserta (e com aspecto meio sinistro), com uma pequena placa na esquina indicando  “Museo”.

Como sabíamos que muita gente só visita a Ciudad Mitad del Mundo e ignoram o Museu, seguimos a rua até uma pequena entrada onde também não tinha ninguém. Tinha uma bilheteria com preço e uma porta, mas ninguém pra cobrar. Pensamos que poderia estar fechado, mas escutamos um burburinho e decidimos entrar pela pequena porta.

Antes mesmo de dar tempo da gente se localizar uma senhora muito educada nos abordou cobrando os ingressos: (U$4,00) por pessoa. Pagamos e fomos levados até um banquinho onde esperamos a formação de um grupo.

O passeio pelo Museu Intiñan

Os passeios são realizados em grupos, sendo que um guia muito bem treinado percorre os vários ambientes do museu. O guia nos conta sobre a cultura equatoriana, sobre o caminho do sol e sobre algumas curiosidades referentes a linha do Equador.

Museu Intiñan-18

Jeff, nosso guia “buena onda”.

O primeiro ambiente que visitamos se refere a parte amazônica do Equador. Neste lugar ficamos sabendo algumas curiosidades sobre a fauna e flora da região e sobre os costumes dos indígenas que habitam a região.

Museu Intiñan

Curiosidades sobre a parte amazônica do Equador.

Museu Intiñan-2

A famosa Anaconda. 

Não deixe de observar o curioso e impressionante ritual de redução de cabeças (Tsantsa) realizado pelos índios Jivaro.

Museu Intiñan-3

Segundo o guia, uma cabeça reduzida original!

Em seguida, o passeio segue por uma habitação construída por indígenas da etnia Huao, que viveram 2 semanas no museu com a finalidade de construir uma autentica “Choza Huaorani“, tal como as próprias moradias existentes na região amazônica. Também existe uma habituação da etnia Kichwa (Variante dos Quechua), que foi igualmente construída pelos próprios Kichwas .

Museu Intiñan-19

Representação de um indígena da etnia Huao.

Outra habitação bastante interessante é uma cabana original datada de 1875. Nela podemos ver como era a vida dos populares daquela região no passado. Não deixe de observar o sistema de isolamento térmico das casas e também as curiosidades como por exemplo a capa protetora contra chuva que a própria fumaça do “fogão” (que na verdade era uma fogueira) criava.

O passeio continua em meio a diversos Totens de diversas regiões da América Latina. É o Bosque Totêmico, onde podemos encontrar 11 réplicas de totens e esculturas de várias partes, entre eles, um Moai da Ilha de Páscoa, um Atlante de Tula, do México, um Antropolito de Mercedes, do Uruguai e um Venus de Tacuarigua, da Venezuela. O projeto tem como objetivo reunir mais de 100 totens de várias partes do mundo.

Museu Intiñan-13

Parte do Bosque Totêmico

Também podemos conferir uma réplica de uma tumba ancestral, onde eram mumificados e sepultados os mortos e no caso de morte de pessoas importantes nas tribos, também eram enterradas suas companheiras,vivas! Estas tomavam um troço pra dormir e sabe-se lá se morriam sufocadas, ou morriam depois de acordar dentro de um jarro gigante, enterradas!!! Só imagina o desespero!

Museu Intiñan-5

Réplica de Tumba ancestral.

Conhecer mais sobre a história do Equador e cultura dos povos ancestrais é muito interessante, mas o que mais gostamos no Museu IntiNãn, foram as experiência realizadas junto a uma linha vermelha que supostamente é a verdadeira linha do Equador. Embora ninguém do museu confirme, a linha esta enfaticamente sinalizada como a Latitude 00º 00′ 00″  – Calculada por GPS. 

Museu Intiñan-14

Latitude 00º 00′ 00″ – Calculada por GPS!

É neste local que estão diversos aparelhos interessantes como um relógio solar e um Calendário solar, o Nomón (aparelho de pedra que marca as estações do ano).

Museu Intiñan-6

Relógio solar.

Também é sobre a linha vermelha que são feitas várias experiências como a famosa experiência da água onde podemos observar o efeito Coriolis, quando a água não gira pra nenhum lado sobre a linha mas gira em sentidos opostos quando colocada em cada um dos lados da linha. Isto vale também para os ciclones, furacões etc.

Museu Intiñan-16

Efeito Coriolis: a água gira em senti contrário dependendo do Hemisfério.

Temos que fazer uma observação aqui! Quando estávamos fazendo este passeio no nosso grupo tinha uma mulher Tcheca que morava no Equador e estava no museu com duas crianças! Ficamos putos da vida porque a mulher não tomava nenhuma atitude e as crianças atrapalhavam as experiências, inclusive metendo a mão na água quando o guia fazia esta experiência! Gente mal educada, cuidem de seus filhos!!! (como nos queríamos que este post chegasse até ela um dia).

Outra experiência famosa que é feita no Museu IntiNãn é equilibrar um ovo na cabeça de um prego. E olhem que quem consegue este feito ganha até um diploma! Eu ganhei, já a Paty achou que era brincadeira do guia e nem tentou, ficou sem diploma!

Museu Intiñan-8

Meu ovo! hehe!

Outras experiencias são feitas como testar a força sobre a linha e do lado dela, caminhar de olho fechado sentindo a gravidade diferente entre outras…

Museu Intiñan-10

Caminhando sobre a linha do Equador.

Embora as experiências sejam bem convincentes existem rumores que são truques… Mas como tudo naquela região é meio polêmico, pelo sim e pelo não, vale a pena visitar o Museu IntiÑan e os U$4,00 da entrada são muito bem pagos. Como já falamos no post da Ciudad Mitad del Mundo, vale muito mais a pena pagar estes U$4,00 do que a diferença no “ful pass” de lá.

No final do tour somos levados até um atelier de moradores da região que nos mostram mais algumas curiosidades sobre a cultura dos locais e também como são confeccionados tapetes, redes, mantas etc. Ali é possível comprar lembranças do Equador, do museu IntiÑan e da Metade do Mundo, além dos próprios objetos confeccionados pelos artesões.

Museu Intiñan-11

Artesão local tecendo e mostrando todo o trabalhoso processo.

Além de tudo que citamos existe mais um espaço que não sei porque motivo não nos foi mostrado, é uma câmara de pedras que mostra alguma coisa sobre os solstícios equinócios.  Imagino que não fomos lá porque o tempo estava nublado, sem sol…Ou porque já estava na hora de fechar… Em todo caso parece ser bastante interessante.

Além do certificado de equilibrador de ovo na cabeça de pregos, você também pode obter o carimbo da latitude 00º oo’ oo”.

Como chegar ao Museu IntiÑan

Como temos certeza que se você vai vistar o Musei IntiÑan você também vai vistar a Ciudad Mitad del Mundo, também temos certeza que você irá ler nosso post que fala sobre nossa visita a Ciudad Mitad del Mundo, sendo assim, sabemos que você irá ler lá naquele post todas as maneiras de chegar a Ciudad Mitad del Mundo e consequentemente ao Museu IntiÑan, que fica bem ao lado do famoso complexo.

SERVIÇO: 

Museo IntiÑan – http://museointinan.com.ec/

Valor do Ingresso:  U$ 4,00 Menores de 12 anos U$2,00

Horário: Diariamente das 9h às 17h.

Endereço: Av. Manuel Córdova Galarza Km. 13/5 SN

Fone: +593 2-239-5122 Email:  info@museointinan.com.ec


QUER AJUDAR O DMEC SEM GASTAR MAIS POR ISSO? 

Utilize os nossos parceiros e ajude nosso blog:

- Encontre e reserve sua hospedagem em Quito, em qualquer parte da linha do Equador (seja ela qual for) e em qualquer parte do mundo através do Booking.com. Você não paga nem um centavo a mais e ainda ajuda o blog! Lembrando que a maioria das reservas feitas através do Booking.com podem ser canceladas.

- Contrate seu seguro viagem através da nossa parceira Real Seguro, além de estar ajudando a manter o DMEC, você vai encontrar o melhor preço, pois a Real Seguro faz cotações com as melhores seguradoras do mercado!


Share

26 Respostas para Museu Intiñan e a verdadeira linha do Equador (Latitude 00º 00′ 00″)

  1. Que legal. Achei interessante as experiências na linha. Gente, será que são truque??? Como saber??? E esse negócio de cabeça reduzida??? Muito legal a visita e o post.

  2. Não sabia que existia o Museu também!!! Sempre vejo as pessoas visitando somente a Cidade… Fiquei morrendo de vontade de conhecer Quito… Vou tentar ir logo…

  3. Marianne disse:

    Que museu diferente! Nunca tinha ouvido falar! Eu não sou apaixonada por museus, mas não perco por nada museus desse tipo, onde podemos interagir e ver muitas curiosidades e coisas interessantes sobre o lugar! Curti muito!

  4. Marcia disse:

    Curiosa pra saber sobre a cabeça reduzida! Eu tinha lido em alguma edição da Super Interessante que a coisa do ralo é um mito. Será que um museu enrolaria as pessoas a esse ponto? Bem, se vc pensar que há outra linha mundialmente difundidda como “a” linha do Equador a 220 km, não é de se duvidar. Mas eu com certeza iria ao Museu e até colocaria o ovo em pé! Kkkk

    • Itamar Japa disse:

      Pois é! Vai saber né!? De uma coisa temos certeza a experiência da força abrindo os dedos de um lado e tentando fazer o mesmo do outro realmente funciona porque nós fizemos em nós mesmos (ou é psicológico?).. hehehe Sei lá! De qualquer forma, achamos muito legal! :)

  5. Eu adoro museus de todo tipo; acho uma maneira bárbara de adquirirmos conhecimentos diversos. Achei toda essa experiência que vocês narram excelente; Despertou minha vontade de conhecer mais dessa região e sua história!

  6. Independente de qualquer polêmica, achei incrível este museu e certamente visitaria! Aliàs, vc me deixou com muita vontade de conhecer Quito !
    Mas cà entre nòs: cade o teu diploma????
    hahahahaha

  7. Tenho muita vontade de ir, porque meu marido foi a trabalho, mas conseguiu fazer alguns passeios turísticos e gostou muito.

  8. Ana Coutinho disse:

    Sensacional! É um passeio que eu adoraria fazer, cheio de curiosidades e conhecimento. Super bacana. Parabens pelo post ;)

  9. Paula Abud disse:

    Acho super legal essa linha do Equador e a sensação de estar em meio aos dois hemisférios, são coisas que só esse mundão mesmo tem pra nos surpreender. Amei as dicas!

  10. Que legal aprender que a sabedoria indígena já sabia onde ficava a divisa do mundo. E adorei toda a história deste post, bem como as informações. Quero muito ver a experiência do ralo, mas espero que não seja truque, heheheheh. E o preço da atração é bem justo, legal. Gostei.

  11. Que museu diferente é pela fotos parece ser muito legal, mas o que mais gostaria de fazer ai seria tirar essa foto no marco 00.00.00

  12. Alessandra disse:

    Uau, que lugar incrível. Adorei o post, cheio de informações maravilhosas. Fiquei muito curiosa para conhecer Quito. Parabéns.

  13. pegadinha do malandro salcifufu yeye aheuaheua ainda bem que falaram a verdade hein, se não passava despercebida! fiquei interessada na redução de cabeças, sempre me perguntem como diabos eles faziam isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>